SWAT – The Profilling Specialist

Menu

Customer Experience – O que é?

Customer Experience – O que é?

Trata-se de uma estratégia que está “em alta” e veio para ficar.

As empresas que implementam uma estratégia cujo pilar é o Customer Experience, ou a experiência do cliente, sentem um impacto positivo na fidelidade do cliente, atingem melhores índices de satisfação de clientes, veem reduzidas as reclamações, alcançam uma maior taxa de retenção e o aumento das vendas.

Representa, portanto, a grande vantagem competitiva das empresas e o seu caminho diferenciador face aos concorrentes. 

Os clientes tornam-se embaixadores da marca/empresa e nem se vão importar de investir mais se tal significar um relacionamento de melhor qualidade.

Na prática de que se trata o Customer Experience?

De uma perceção. Resulta do desempenho que o cliente obtém do seu fornecedor ao qual se retira a expectativa inicial que tinha.

Uma organização e um cliente estabelecem contactos ao longo da sua relação comercial. Após essas interações, (sejam presenciais ou online, nas vendas ou pós-venda), o cliente vai ficar com uma perceção de como correu a relação e vai reagir influenciado por aquilo que sentiu.

Quanto mais positivos forem esses contactos ao longo da duração do relacionamento, quanto melhor for a perceção do cliente, maior será o seu nível de lealdade para com a organização e mais favorável será a sua reação, recomendando os produtos/serviços.

Basicamente, tudo gira à volta da pretensão do cliente. Quando o cliente interage com uma empresa, há algo que deseja alcançar. Ou quer um novo produto, quer comprar algo, ou quer reclamar de algo, ou é a fatura que não está correta, etc. Essa é a sua necessidade/pretensão inicial.

Os diferentes contactos que estabelece são apenas formas que utiliza para atender a essa pretensão ou resolver essa questão. O seu percurso enquanto cliente consiste, portanto, num acumular de todos os contactos com a empresa, durante um determinado período de tempo.

"Se queremos que o cliente permaneça para a vida, há que investir na experiência"

O cliente até nem é muito complicado, interage com a empresa e quer ver concretizado o serviço de que está à espera. Quem, frequentemente, cria complexidade é a própria empresa num processo que, podendo estar otimizado para a empresa, raramente o está para o cliente simplesmente porque não abarca a visão completa da necessidade/pretensão do cliente.

Ora, se queremos que o cliente permaneça para a vida, há que investir na experiência que estabelece connosco tornando-a sempre positiva e fazendo com que, mais do que satisfazer as necessidades/pretensões iniciais, contribua para a sua real felicidade.

Adicionalmente, o relacionamento deve ser duradouro não se reduzindo ao momento da compra do produto ou serviço.

Um negócio não pode existir sem os seus clientes e mais do que conquistar novos clientes as empresas concentram-se agora em manter os clientes existentes oferecendo-lhes reais experiências ao longo da relação que com eles vão construindo.

Por outro lado, cada vez importa menos o produto ou serviço que uma empresa/organização vende… A relação que consegue estabelecer entre as pessoas envolvidas, na qual “o cliente é rei”, esse sim é o fator de sucesso! O sucesso do negócio vai estar fortemente relacionado com a dedicação ao cliente.

A estratégia de Customer Experience

A estratégia de Customer Experience deve, pois, entender-se como abrangente; a empresa precisa estabelecer uma cultura que deve ser partilhada e apoiada por todos os seus membros, nos vários departamentos. Os avanços tecnológicos e digitais que permitem novas maneiras de fortalecer os relacionamentos com os clientes devem ser reconhecidos e aproveitados em termos de estratégia a longo prazo.

Por outro lado, sabemos que as expectativas dos clientes mudam e aumentam constantemente – frequentemente, através da publicidade, muitas empresas aumentam as expectativas mesmo quando depois praticam um serviço bastante normal – o que obriga a um contínuo acompanhamento de cada cliente, uma energia redobrada para o satisfazer e a antecipação do que poderá vir a querer a seguir.

Há que ter noção que, às vezes, diminuir as expectativas também pode ser uma maneira de proporcionar maior satisfação.

Os clientes estão cada vez mais exigentes e comparam as diversas empresas quando tomam a decisão de compra.

Quanto mais “empowered” estiver o cliente maior terá de ser a importância dada ao Customer Experience.

Uma abordagem “customer-centric” (colocando as necessidades do cliente no centro da nossa atenção) requer cuidados constantes e exige uma procura sistemática de ideias frescas que nutram a experiência do cliente, que marquem a diferença, que o façam sentir-se especial.

Cliente para sempre
Como implementar a estratégia:

  • Criar uma visão determinante de Customer Experience que deve ser comunicada e partilhada com toda a organização e que vai influenciar e mudar comportamentos. O compromisso deve partir do topo (management) para baixo; cada membro da equipa deve conhecer e praticar a visão e a mesma deve ser incorporada em todas as áreas de formação (treino) e desenvolvimento.
  • Perceber quem são os seus clientes colocando-se no papel do cliente para atingir uma noção mais realista das suas expectativas (tantas vezes falamos em colocarmo-nos nos “sapatos do cliente”).
  • Criar um relacionamento e não ter receio de ser “emocional” para com os seus clientes.
    Qualquer relação tem muito de emoção e muitas decisões e atitudes são moldadas por emoções. São os clientes mais envolvidos com a empresa que mais depressa voltam a comprar o produto/serviço e os que dão melhores recomendações.
  • Investir na formação (treino) dos membros da equipa, sobretudo daqueles que têm contacto direto com clientes.
  • Escutar o cliente e solicitar feedback: pergunte aos clientes se estão satisfeitos e quão satisfeitos estão. Faça contactos, faça perguntas e encoraje as respostas. Isto também ajuda a acelerar o processo de resolução de reclamações e a aumentar os índices de satisfação dos clientes.
  • Avaliar o retorno de toda a estratégia de Customer Experience: saber como esse investimento na formação das suas equipas, nos processos e tecnologias melhoraram, estão a funcionar e a valer a pena.
  • Dar feedback dessa avaliação aos membros da organização. Os colaboradores sentem-se mais envolvidos e motivados quando conhecem os resultados.
  • Realizar benchmarks relativamente a outras empresas. Conhecer o que os outros estão a fazer (mesmo noutros mercados), dá-nos ideias que fazer mais e diferente.
  • Utilizar o digital a seu favor. Os clientes partilham as suas experiências de compra ou serviço online, com outros clientes, e tal virá a moldar a perceção que os outros vão ter da sua empresa, produto ou serviço.

"O cliente é rei"

A Estratégia de Customer Experience deve ser transversal às Vendas e ao Pós-Venda, numa perspectiva de quase fusão, e os departamentos de Vendas e Pós-Venda necessitam de trabalhar juntos para manter os clientes felizes.

Os Departamentos de Vendas de maior sucesso não se limitam a fechar negócios; pelo contrário, iniciam relacionamentos de longo prazo com os clientes.

Na área do Pós-Venda, embora o atendimento ao cliente seja importante, não pode ser o único foco de atenção.

A Experiência do Cliente requer um relacionamento pró-ativo e de construção de uma relação de confiança com os clientes, a fim de garantir a sua satisfação contínua enquanto gera novas oportunidades de vendas.

As vendas aumentam quando os clientes têm experiências consistentemente positivas com o seu produto e equipa, e a perda de clientes diminui quando as expectativas dos seus clientes são superadas de forma focada, eficiente e oportuna.

Fecha-se o ciclo… ganha-se um cliente para a vida!

Autor: Paula Serra

Treino: não me tirem daqui!

Incentive os seus colaboradores a aprender mais. Num mundo empresarial em mudança, tem sido crescente a preocupação das empresas com questões como a cultura organizacional,

Ler mais

Conheça as nossas ferramentas:​

Os especialistas da SWAT ensinam a sua equipa a seguir uma metodologia que permite entender cada cliente e colaborador, começando por identificar as caraterísticas da respetiva personalidade!

Criamos uma nova ferramenta de consultoria: a SWAT apoia-o na estruturação das suas equipas, tendo em vista a combinação de perfis mais adequada para aumentar a produtividade e satisfação dos seus colaboradores.

Transformação e crescimento são as palavras mais utilizadas pelos participantes para descrever os Retiros SWAT. Agora, incluem-se ferramentas de Profiling que aprofundarão a sua mudança profissional e pessoal!